15 de março de 2013

Algo sobre beleza e autoestima


Aí, eu me pego pensando sobre como as pessoas conseguem ser vazias e, ao invés de tentar lutar contra essa tendência, se deixam levar pelo fluxo, inventando argumentos que incentivem uma tentativa besta de se preencher.

Outro dia, ouvi duas grandes amigas comentando sobre como estavam insatisfeitas com seus corpos e sobre como desejavam gastar o dinheiro que fosse pra “consertar” isso. Essas garotas queriam aumentar seus seios e praticamente podiam jurar que, colocando silicone, se sentiriam melhores com elas mesmas. Será que só se submetendo ao padrão de beleza atual, e ao que a mídia faz você engolir todos os dias, é que dá pra se sentir bem? O que é se sentir melhor? Sinceramente, eu não penso que elas se tornariam pessoas mais felizes depois de encarar esse processo (que não é simples assim). Primeiro, porque os motivos são extremamente fúteis (mesmo que elas insistam em afirmar o contrário) e, além disso, hoje em dia, poucas pessoas estão, de verdade, satisfeitas consigo mesmas no sentido estético da coisa. É sempre, e por todo lado, algo mais ou menos assim: “tenho um nariz estranho”,“to ficando gorda”, “sou muito magro”, “tenho orelhas tortas”, “quero ficar ‘bombado’”, “preciso de uns lábios mais grossos”, “meu cabelo é ruim”, até mesmo “preciso de uma tatuagem/piercing”, e um milhão de outras reclamações, infundadas. Sei bem que é difícil se controlar (e parar de se enganar), porque é difícil conseguir se amar com tanta gente buzinando no ouvido. É muita moda, padrão, propaganda enganosa, manipulação. Eu mesma já fiquei encanada, e por um bom tempo, por causa de vários “defeitos” meus e, sim, tenho “crises” de autoestima, mas não desisto de me questionar. Não desisto de me fazer lembrar que isso tudo é ridículo e que eu sou bonita, muito. Que eu sou, e sempre vou ser amada (e você também). 
Dá para mudar a aparência de mil jeitos, mas acontece que esse tipo de fraqueza em relação a si mesmo nunca vai fazer ninguém mais atraente/desejado e, muito menos, especial. Pelo contrário! Quando alguém não se aceita, dá pra reparar. 
Por isso, abre os olhos e vê que especial mesmo é ser confiante! Isso é raro e merece admiração. Espero que, em algum momento, todo mundo perceba o quanto é lindo, por dentro, claro, mas por fora também! Afinal, beleza não é algo com medidas definidas. É muito mais ter coragem de ser diferente e espalhar esse sentimento.

Escrevi esse texto porque fico muito triste quando penso sobre esse assunto.